Para aquela que me salva


Um dia, eu estava bem triste. Lembro de estar na minha cama com os olhos inchados, sem sequer mais uma lágrima para chorar, e colocando em dúvida os meus próprios valores. Aí eu te disse que tinha chegado no fundo do poço. Que já não sabia mais como sair dele e que parecia que meu coração estava tão machucado que ninguém seria capaz de estancar as feridas.

Você não precisou pensar muito para me dizer que não importava o quão fundo eu estivesse nesse poço, que você daria um jeito de me tirar dele.

Bastou isso para você me tirar. Bastou você me lembrar que eu não estava sozinha, e dizer que o meu coração não ia estancar tão cedo, mas que era possível tratarmos cada um dos machucados com um bocado de sorrisos. E foi assim que meu coração se curou em uma semana.

Entre as milhares de vezes que você me socorreu com band-aid e mertiolate, você teve tempo de me ensinar a ser livre. Me ensinou a lidar melhor com o mundo, com as voltas que a vida dá, me ensinou a encarar os problemas de cabeça erguida, de aceitar os dias ruins e tirar as melhores lições que pudesse das tempestades, me ensinou a aproveitar os dias bons com sorriso no rosto, leveza na alma e se possível, uma boa trilha sonora.

Se hoje eu não tenho inimigos, foi porque você me disse um dia que não valia a pena ter. Se eu não odeio ninguém, é porque você me ensinou que o amor e o ódio se confundem às vezes, e quando alguém não nos importa mais, sequer lembramos que essa pessoa existe.

Do seu jeito, você me ensinou que amar de verdade é aceitar as pessoas exatamente como elas são. E que ser amigo é falar todas as verdades horríveis, depois torcer para a pessoa não jogar um sapato na sua cabeça e ainda por cima continuar te amando.

Se hoje eu levo a vida com mais leveza, é porque você me ensinou que não valia a pena encarar o mundo com a testa franzida e os olhos cerrados, se eu não tenho compromisso com o relógio, é porque você me ensinou a não ser tão escrava do tempo, se eu pego o carro e dirijo sem rumo, é porque você me disse que eu não precisava necessariamente ter um plano para poder realizar as melhores coisas da minha vida.

Eu sou incapaz de dizer como aprendemos uma com a outra. Você, como mágica, tirou da cartola lições que você mesma não tinha aprendido ainda, e eu, como mera aprendiz, passei a vida esbarrando nos seus defeitos e fazendo exatamente o que você me ensinou a fazer: Fazer diferente.

Não somos ícones de perfeição. Somos abarrotadas de defeitos, mas enxergamos um mundo muito melhor do que as pessoas que levam a vida sério demais. Obrigada por ter a paciência de me amar todo santo dia. E que assim seja sempre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s